22/05/2009

femi fatoba poeta nigeriano

Aqueles Poucos Afortunados/ Those Lucky Few

Eu sou um daqueles poucos afortunados Que não tem o sentido do cheiro. Quando o chefe exige E dorme com a minha mulher Ela que venha para casa para um banho E vista as suas melhores roupas Uma festa de promocão não cheira. Quando levo a minha mãe ao curandeiro Para o ritual do dinheiro Como podem esperar que eu me lembre Do cheiro de um cordão umbilical Cortado há vários anos Ou do sangue que une Quando eu uso o crânio do meu irmão Para o sabão AWURE? Eu não cheiro O arroto de fome da criancinha Quando lhe arrebato a comida Para dar ao meu cão. Eu sou um daqueles poucos felizardos Que perdeu o sentido do cheiro.

Tradução de Conceição Deus Lima (São Tomé) (nota: AWARE - feitiço protetor)