08/09/2009

muxima

Para os que não sabem, Nossa Senhora da Muxima é uma devoção angolana que leva todos os anos muitos peregrinos a uma vila e Igreja alta sobre o rio Kwanza, no município da Kissama, geralmente em Setembro (este ano foi em Agosto, não sei porquê). O templo é dedicado a Nossa Senhora da Conceição, de onde a palavra muxima fazer todo o sentido, uma vez que indica a sede dos afetos e sentimentos, vg. coração. A peregrinação à Muxima aumenta de número e de significado ano após ano. Começou por ser uma peregrinação espontânea e popular e continua sendo essencialmente isso. Ela tem um significado cultural e identitário forte, tornando-se mais um pilar da construção de consensos nacionais. São consensos que, no caso da religião, duram muitos anos, décadas, eventualmente séculos (e esta devoção começou mesmo há séculos, porque António de Oliveira Cadornega já fala dela no século XVII - recorde-se que a construção da Igreja data dos anos 40 desse século). A criação destes consensos define uma identidade integradora e por assim dizer natural. A par de outros sinais vai-se criando assim, por si, uma nação. As grandes nações (não é o mesmo que dizer os grandes países ou os grandes estados) são geralmente construídas em torno de consensos deste e de outros tipos. Daí que faça todo o sentido a construção de uma basílica no local, dando perfil arquitetónico à fé do povo e, pelo traço que terá, atirando para o futuro uma crença já antiga. O portal da Angop tem várias fotos interessantes do templo setecentista e mesmo de vista geral da zona.

Sem comentários:

Enviar um comentário